17 de Fevereiro de 2008

Não é que eu seja propriamente um especialista na coisa, nem pouco mais ou menos. Mas esta discussão do acordo ortográfico parece-me um bocado idiota. À partida já não acho piada nenhuma ao facto de ter de passar a escrever a palavra facto como fato, ou outras que tais: ação, ótimo, vetor. Mas suponhamos que até aceitávamos todos isto, em Portugal.


Uma das razões que invocadas é haver uniformidade na língua, evitando-se assim as traduções  de livros para português de Portugal e português do Brazil. No entanto, a língua não é só ortografia. Os brasileiros usam palavras como câncer em vez de cancro, ou concreto em vez de betão. E isto não é, claramente, algo que faça parte do âmbito do tal acordo ortográfico. Sendo assim, se a maneira como se usam as palavras é diferente, será que há interesse em escrevermos todos da mesma maneira?

17 de Fevereiro de 2008