5 de Março de 2008

Durante uma interessantíssima entrevista ao jornalista brasileiro Laurentino Gomes (autor do livro 1808 — Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a História de Portugal e do Brasil) veio à baila a questão da utilização da internet como ferramenta indispensável de pesquisa. No entanto adverte (neste caso no contexto do jornalismo) para o fenómeno da “redacção preguiçosa”, i.e., o jornalismo de rato e teclado. É um fenómeno cada vez mais comum, acompanhado de outros sintomas que revelam a crescente perda de qualidade do jornalismo em Portugal.
Já em duas ocasiões encontrei frases em espanhol em textos do Público online (infelizmente não guardei). Também encontrei crianças cancerígenas num artigo do (vergonhoso) Diário de Notícias online. Mas ao ouvir falar sobre a “redacção preguiçosa”, lembrei-me de um artigo, também no Público online, sobre os dez anos volvidos do caso Lewinski. Na altura, lembro-me que já não me lembrava da cara da senhora e decidi procurar na Wikipedia. O resultado foi encontrar uma tradução quase ipsis verbis:
No Público

Depois do escândalo rebentar, Monica entrou de rajada no anedotário norte-americano e na cultura pop mundial. A estagiária mais famosa do mundo admitiu que só sobreviveu ao frenesim dos media através da terapia do “tricot” e passado pouco tempo criou a sua própria colecção de malas de senhora, que vendia através da Internet. O negócio acabou por fechar em 2004.
Por entre fotografias esporádicas na imprensa que davam conta do seu aumento de peso e do seu desequilíbrio emocional, Monica ainda fez algumas aparições públicas, nomeadamente no programa Saturday Night Live, fazendo um cameo como “ela própria”, como indica a Wikipedia.
Depois da publicação do livro “My Life”, a autobiografia de Bill Clinton, em 2004, Monica disse a um tablóide britânico: “Ele [Bill Clinton] podia ter feito as coisas bem, mas não fez. Ele é um revisionista da história. Ele mentiu… [Ele deu a entender que eu é que me lancei para cima dele. Como se eu tivesse sido o ‘buffet’ e ele simplesmente não tivesse conseguido resistir à ‘sobremesa’). Não foi assim. Foi uma relação mútua, mútua a todos os níveis, desde que começou até ao fim…”
Dez anos depois do escândalo, onde está e o que faz Monica Lewinsky? As últimas notícias dizem que terá terminado (Dezembro de 2006) um mestrado em Psicologia Social na London School of Economics, para onde foi estudar em Setembro de 2005. A sua tese de mestrado, igualmente de acordo com informações disponibilizadas na Wikipedia, levou o título In Search of the Impartial Juror: An exploration of the third person effect and pre-trial publicity.

Na Wikipedia:

By her own account, Lewinsky survived the intense media attention by knitting; soon after the scandal she started a business selling her own brand of handbags online, but she closed it in 2004. In 2000 she appeared on The Tom Green Show in which the host took her to his parents’ home in Ottawa in search of fabric for her new business. Lewinsky made a cameo appearance as herself in two sketches during the May 8, 1999 episode of NBC’s Saturday Night Live, a program that had lampooned her relationship with Clinton over the prior sixteen months. She was also the host of the short-lived reality television dating program called Mr. Personality in 2003.
After Clinton’s autobiography My Life appeared in 2004, Lewinsky said in an interview with the British tabloid Daily Mail: “He could have made it right with the book, but he hasn’t. He is a revisionist of history. He has lied. (…) I really didn’t expect him to go into detail about our relationship (…) But if he had and he’d done it honestly, I wouldn’t have minded…. I did, though, at least expect him to correct the false statements he made when he was trying to protect the Presidency. Instead, he talked about it as though I had laid it all out there for the taking. I was the buffet and he just couldn’t resist the dessert. (…) This was a mutual relationship, mutual on all levels, right from the way it started and all the way through. … I don’t accept that he had to completely desecrate my character.”
In December 2006, Lewinsky graduated with a master’s degree in Social Psychology from the London School of Economics where she had been studying since September 2005. Her dissertation was titled “In Search of the Impartial Juror: An exploration of the third person effect and pre-trial publicity.” On the whole, Lewinsky has been reported to find difficulty with moving on with her life.

Embora citada a enciclopédia, o facto de se fazer jornalismo traduzindo o que está na Wikipedia, é um grave indicador de que algo vai mal nas redacções do país.

5 de Março de 2008