28 de Março de 2009

Um país de doutores, já se ouve desde há algum tempo. Mas eram os dr., os licenciados; agora parece que a doutorite é outra.

Os politécnicos são obrigados a ter um mínimo de 15% de docentes doutorados e a outra parte, até 50% de especialistas, mas “as condições para estes especialistas são tão difíceis, que é mais fácil ter doutorados”, dizem fontes académicas.

in DN

Não é que eu conheça muito sobre o Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior ou do Título de Especialista (referências no fim, para quem estiver interessado). Parece-me um pouco absurdo que se queiram professores dedicados, mas que tenham também uma carreira profissional paralela, numa qualquer outra actividade. A verdade é que acho estranho que seja mais fácil doutorar pessoas, do que encontrar os ditos especialistas. Isto para o ensino superior politécnico.
Mais uma vez o This American Life. Desta feita, oiça-se o Acto Um do episódio 376.
[1] – http://devel.mctes.pt/archive/doc/RJIES_0.pdf
[2] – http://www.snesup.pt/htmls/_dlds/Regime_juridico_titulo_especialista.pdf
[3] – http://www.ipl.pt/politecnia/n16/tribunalivre.pdf

28 de Março de 2009