5 de Fevereiro de 2012

Atentem:

O vídeo acima tem quase dez milhões de visualizações. E que viram os milhares de pessoas no vídeo? Um senhor a dançar em frente aos netos. De forma bastante animada e, arriscaria, mesmo cómica. Que vi eu? Uma oportunidade de negócio.

A ideia já andava a ser ruminada há uns tempos e este vídeo veio dar-me a confirmação de que necessitava: há mercado, há procura. Vejam-no novamente e observem atentamente a parede por detrás do bailadeiro. Não há prateleira, mesa ou electrodoméstico que não tenha um… napron. Excepto a televisão LCD. Exacto. Aí está o problema, o nicho de mercado. Naprons para ecrãs planos. E o negócio não se acaba nos televisores: há um potencial enorme entre os monitores de computador, molduras digitais, ou até tablets e smartphones.

Infelizmente, não sou o único a pensar neste assunto. Um artista do Porto já usa um napron sobre o seu Korg MS-20. Mas, convenhamos, nem todos têm um sintetizador em casa. Televisor? Em toda a parte! E já não é fácil arranjá-los com tubos de raios catódicos.

Assim, deixo-vos aqui com o primeiro protótipo. Agora é avançar para o Kickstarter!

5 de Fevereiro de 2012