17 de Julho de 2003

English As She Is Spoke
Crónica publicada em www.100ideias.org, depois de uma investigação despoletada por um post de um blog
Em deambulações pela internet dei de caras com esta pérola da literatura de linguística. Em 1855 foi publicado um dos primeiros guias de conversação Português-Inglês; sob a égide de José da Fonseca e Pedro Carolino saiu o English As She Is Spoke, uma obra tão incrivelmente má, que desde então tem sido reeditada como obra-prima da estupidez mais pura.
Agora que é reeditado, mais uma vez, em Nova Iorque, divulgou-se também um estudo de 2002 da autoria de Alex MacBride, sobre as causas que podem ter levado a tamanha incompetência. Desde a primeira edição do livro, que ambos os autores têm sido considerados como bestas ignorantes e profundamente ridicularizados. As investigações de MacBride sugerem que o que se passou foi o seguinte:
José da Fonseca era um académico responsável, que dominava várias línguas entre as quais o Francês e o Inglês. Entre as suas publicações contavam-se Novo Guia da Conversacao, em Portuguez e Francez, em Duas Partes. Por razões obscuras e ainda não esclarecidas, talvez ligadas a intrigas editoriais, um tal Pedro Carolino, que não sabia uma única palavra de Inglês resolveu pegar neste último volume e num dicionário Francês-Inglês para criar o English As She Is Spoke. Porque razão aparece o nome de Fonseca juntamente com Carolino na capa deste livro, ninguém sabe. Macbride sugere que terá sido vítima de um embuste ou terá estado mentalmente incapaz nos últimos anos da sua vida, que coincidem com a aparição do guia, visto que ele era um profissional capaz.
O resultado é que imediatamente a seguir à sua publicação, o English As She Is Spoke tornou-se num delicioso livro de anedotas. As reedições sucederam-se entre as quais uma prefaciada por Mark Twain que afirmou:

“Nobody can add to the absurdity of this book, nobody can imitate it successfully, nobody can hope to produce its fellow; it is perfect.”

Esta compilação de estupidezes resultou então da tradução literal de frases francesas, que tinham sido traduzidas e adaptadas por Fonseca ao francês a partir do original Português. Aqui seguem alguns exemplos hilariantes:
Original: Barriga cheia, cara alegre.
Tradução Correcta: A full stomach makes for a content face.
Versão de Carolino: After the paunch comes the dance.
Zombo deles; o meu navio é armado em guerra, tenho equipagem vigilante e animosa; e as munições não me faltam.
I laugh at them; my ship is armed for war; I have an alert and courageous crew, and I have plenty of ammunition.
I jest of them; my vessel is armed in man of war, i have a vigilant and courageous equipage, and the ammunitions don´t want me its.
Ainda não é tempo delas; mas os damascos brevemente estarão maduros.
It isn´t the season for them; but the apricots will soon be ripe.
It is not the season yet; but here is some peaches what does ripen at the eye sight.
Este lago parece-me bem piscoso. Vamos pescar para nos divertir-mos.
This lake looks full of fish to me. Let´s have some fun fishing.
That pond it seems me many multiplied of fishes. Let us amuse rather to the fishing.
Já não sei como me hei-de haver com esta casta de gente.
I don´t know what to do any more with this sort of people.
I don´t know more what I won´t with they servants.
Vamos mais depressa. Nunca vi pior besta. Não quer andar, nem para diante, nem para trás.
Let´s go faster. I never saw a worse animal. It doesn´t want to go either forward or backward.
Go us more fast never i was seen a so much bad beast; she will not nor to bring forward neither put back.
Seja a quem for que pergunte por mim, dizei-lhe que não estou em casa.
No matter who comes asking for me, tell him that I´m not at home.
Either to who it will be that it asks for me, you say to it that I am not in house.
Dando uma queda Philippe, rei de Macedonia, e vendo a extensão de seu corpo impressa na poeira, exclamou: “Grandes deuses! Como é acanhado o espaço que, neste universo, ocupamos!”
King Phillip of Macedon fell down, and seeing the outline of his body in the dirt, said, “Oh Great Gods! How small is the space we take up in the universe!”
Philip, king´s Macedonia, being fail, and seing the extension of her body drawed upon the dust, was cry: “Greats gods! that we may have little part in this universe!”
Certo ferroupilha pedindo, em Madrid, esmola a um sujeito, este respondeu-lhe: “Tu és moço, e melhor for a trabalhasses, que exercer tão vergonhoso mister.” “Meu senhor, acudiu o orgulhoso mendigo; eu peço-lhe dinheiro, não lhe peço conselhos.”
A beggar in Madrid accosted a passerby, who told him, “You´re a healthy young man; it´d be better for you to work, instead of taking up such a shameful profession.” The proud beggar replied, “I asked you for money, not advice.”
A beggar, to Madrid, had solicited the pity of a passenger. “You are young and strong, told him that man; it would be better to work as you deliver to the business who you do.– It is money as i beg you reply immediately the proud beggar, and not councils.”
Sem dúvida maravilhoso. É Portugal a fazer rir o mundo! Quem quiser mais pérolas pode aceder aqui a outros excertos do livro.

17 de Julho de 2003