12 de Julho de 2014

Desde há dois anos que, perante o desfasamento entre o número de candidatos ao Ensino Superior e as vagas disponibilizadas, venho fazendo uma pequena análise (partes I e II) para perceber a capacidade de prever o número de estudantes no Ensino Superior através da natalidade.

O objectivo era perceber se desse modo se poderia dimensionar melhor a oferta de vagas (descrição na parte I). Fiz um modelo para prever o número de alunos que termina o ensino secundário a cada ano, mas concluí que esse parâmetro por si só não é suficiente. No entanto, a correlação com a nota do exame de Matemática A revelou-se bastante significativa, por motivos que não sei esclarecer:

Correlação entre as médias do Exame de Matemática A e o número de Candidatos ao Ensino Superior por aluno que acaba o 12º ano.
Correlação entre as médias do Exame de Matemática A e o número de Candidatos ao Ensino Superior por aluno que acaba o 12º ano.

Este ano, já foram reveladas a média do exame de Matemática A (7,8 valores, na primeira fase) e o número de vagas, segundo o ministro da Educação, não vai aumentar. Utilizando o modelo e, este ano, antes do número de ser candidatos ser revelado, faço aqui a minha previsão:

Vagas 2014.
Rácio entre vagas ou candidatos e número de alunos que terminam o 12º ano, segundo o meu modelo. Comparação com as médias da prova de matemática A. As cores de fundo representam “eras” de diferentes graus de dificuldade no exame nacional. A zona a cinzento representa o intervalo de confiança a 99% da previsão do número de candidatos.

No ano passado, o modelo previu um número de 40,025 candidatos ([37.488;42.576], intervalo de confiança a 99% ), sendo que valor divulgado foi de 40.419. Este ano prevê 39.976, num intervalo de confiança de 37.431 a 42.510. Prevê ainda que o diferencial entre o número de vagas e os candidatos se manterá elevado: se a correlação e a capacidade de previsão do número de alunos se mantiver, haverá cerca de 11.485 vagas por preencher (usando o intervalo de confiança deverão ser entre 8.951 a 14.030 vagas não ocupadas).

ACTUALIZAÇÃO: Por erro, na versão inicial desta entrada, tinha usado o valor de 7,5 valores para a média do exame de Matemática A, quando o valor é de 7,8. O gráfico e restantes valores foram actualizados.

12 de Julho de 2014

  • filipe

    interesante.
    presumo que os motivos da correlacao seja

    (1) com melhores notas (em termos absolutos) mais pessoas se sintam motivadas a concorrer. (Se tive um 8 nao concorro, se tive um 10 se calhar ja concorro). Isto acontece pelo efeito de exames serem mais faceis ou dificies.

    (2) anos com alunos mais motivados sao anos em que as duas variaveis se mexem no mesmo sentido: alunos mais motivados aumentao o numero de candidaturas por aluno que termina o 12, e sobem a media do exame. Isto acontence pelo efeito dos alunos serem mais motivados/melhores.

    • São razões que fazem sentido. No entanto devo realçar que estou a correlacionar as notas do exame de Matemática A com *todos* o universo de alunos. Há muitos que não fazem este exame e, por exemplo, com a nota do exame de Português, esta correlação não se verifica.

      • filipe

        Hmmm mais confuso assim. Haveria motivos para pensar, mas sao mais convoluidos.

        • É verdade. Acho que só com uma análise mais detalhada e com mais dados, por exemplo saber quais são os cursos que pedem este exame como disciplina específica de acesso.

  • Pingback: Vagas do Ensino Superior – Parte IV | blog.scheeko()